Suspeita de Corrupção: MP-GO instaura inquérito para apurar pagamentos irregulares a OS gestora do Credeq – Assuntos de Goiás – Questão Brasil

reinaldo121
Sim, quem disse que Marconi Perillo não cumpriria suas promessas feitas na campanha de 2010? 

A oposição desinformada ou nós eleitores que não acompanhamos as ações dos governantes e dos ditos representantes do povo pós eleições.

Uma das promessas mais badaladas dos últimos tempos foi a construção de CREDEQs pelo então candidato em 2010, Marconi Perillo, aproveitando da boa fé das pessoas que desde então assistiam a ofensiva das drogas e o crescente número de dependentes químicos no estado de Goiás.



A população que votou acreditando que no menor tempo possível isso deixaria de ser uma promessa, dado a necessidade de tratamento que os futuros pacientes necessitavam e necessitam para aliviar dor e sofrimento das famílias goianas. 

Errou quem apostou que os projetos nunca sairiam do papel, erraram mais ainda aqueles que não acreditavam que um projeto inovador como este seria esquecido em alguma gaveta da Casa Verde após aquele pleito de seis anos atrás em que muitas promessas foram feitas a esmo com a única finalidade de vencer aquela eleição.

O absurdo de tudo isso é a população saber via imprensa e Ministério Público que o estado de Goiás, mais precisamente a cidade de Aparecida de Goiânia contar com um Centro de Referência e Excelência em Dependência Química desde 2014 e não ver uma obra tão grandiosa não atender as necessidades da população. 

Mas o pior disso tudo é a população do estado de Goiás saber que já vem pagando pelos serviços não prestados desde 2014 e que uma famigerada OS vem comendo dinheiro a quase dois anos sem atender uma só alma viva no local.

Provável que o Governador que não é candidato ao Governo em 2018, iria usar a "inauguração" para fazer mais um certo viva povo no intuito de tentar eleger o seu sucessor, mas a população tem que saber que ela já paga pelo Credeq inativo desde 2014, enquanto assiste impotente na TV as agruras da saúde pública que não tem atendido as necessidades das pessoas justamente por falta de dinheiro.

A explicação precisa ser convincente, porque os dados revelados pelo MP são estarrecedores e remetem a corrupção ativa do Governador de Goiás, que segundo o Promotor Fernando Krebs estaria fazendo doações a OS Luz da Vida com dinheiro público, já que os serviços contratados nunca foram prestados.

Veja o que diz o MP-GO:

O promotor Fernando Aurvalle Krebs, da 57ª Promotoria de Justiça de Goiânia, instaurou inquérito civil público a fim de apurar o repasse excessivo de recursos às Organizações Sociais (Oss) da Saúde, e, especificamente, supostas irregularidades por parte da OS Associação Comunidade Luz da Vida, que foi selecionada para gerir e operar o Centro de Referência e Excelência em Dependência Química (Credeq).



De acordo com o promotor, apesar de o Credeq ainda não estar em funcionamento, o governo de Goiás, por meio da Secretaria de Saúde, teria repassado o valor de R$ 7.780.581,05 à Associação Comunidade Luz da Vida para pagamento de serviços que, em tese, não teriam sido prestados. Segundo informações do portal Goiás Transparente, desde 2014, a OS vem recebendo valores da Secretaria de Saúde do Estado, por meio do Fundo Estadual de Saúde (FES). 

Conforme histórico fornecido pelo portal, em 2014, foi pago o valor de R$ 1.773.105,38; em 2015, o valor de R$ 3.402.385,60; e, em 2016, até a última atualização dos dados no dia 5 de junho, já teriam sido pagos R$ 2.075,96.

Além disso, há a suspeita de pagamento em duplicidade para os funcionários da OS, o que, para Fernando Krebs, se denota das folhas de pagamento dos meses de outubro, novembro e dezembro de 2015 e janeiro de 2016, da Secretaria de Saúde do Estado (SES).

Assim, para dar início as investigações, foram requisitadas informações da Secretaria da Saúde do Estado de Goiás sobre os fatos narrados, no prazo de 10 dias úteis.

 Determinou ainda a notificação do responsável pela Associação Luz da Vida, Luiz Antônio de Paula, e atual superintendente executivo da SES, Halim Antônio Girade, para que prestem depoimento ao MP.

(Texto: Ana Carolina Jobim – Estagiária da Assessoria de Comunicação Social do MP-GO – Supervisão de estágio: Ana Cristina Arruda)

Ministério Público cobra US$ 10 milhões de Cláudia Cruz e outros três réus da Lava Jato http://bit.ly/28pOHV5

Assuntos de Goiás TV

Destaque

Natal Solidário do Papai Noel Azul - Ética, Educação e Solidariedade para o Bem do Brasil

Estamos passando por um momento difícil no campo pessoal, mas em breve vamos retomar a ajuda na organização deste singelo evento. As bikes j...

Arquivo do blog

Questão Brasil nº 87 | 24 de Maio de 2016

Loading...

Seguidores